quinta-feira, 30 de outubro de 2014

A falta de percepção da guerra.

Um soldado é alguém que entra em um grupo com outros soldados para irem à guerra. Eles juntamente têm algo em comum: vencer a batalha. Para isso armam-se corretamente com as armas de ataque e defesa. Acima de tudo, seguem as ordens do capitão.

A vida cristã é uma guerra. Uma guerra difícil, árdua e séria. Sim, eu sei que você já ouviu falar nisso. Mas o problema é que você e eu costumamos nos esquecer dessa verdade, por isso muitas vezes nos acomodamos. E isso faz com que percamos determinadas batalhas.

Quem compara a vida cristã com a guerra é o apóstolo Paulo. Ele afirma que todos nós, os cristãos, temos uma luta, uma guerra. Nosso capitão é Jesus Cristo. E combatemo-la juntos. A nossa luta é de caráter espiritual.

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;
E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;
Tomando sobretudo o escudo da fé,
com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;
Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,
E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho,
Pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar."
Efésios 6:11-20

Eu sei que você conhece Efésios 6, mas você precisa se lembrar desse capítulo mais e mais vezes, assim como eu também preciso. Nossa luta é espiritual e começa na nossa mente. Também lutamos contra coisas espirituais que não conhecemos e nem precisamos conhecer.

Falar a verdade, vestir-se da justiça, pregar o evangelho, ter a fé como escudo, manejar a Palavra de Deus (Bíblia) como espada, persistir e orar sem cessar. Essas são as nossas armas de batalha. Devemos nos esforçar para usá-las a todo o tempo.

O apóstolo Paulo levava a vida cristã como uma batalha. Por isso disse:

"Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;
Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;"
2 Coríntios 10:4-5

É na transmissão da Palavra de Deus, tanto aos incrédulos (Evangelho) quanto aos cristãos (Doutrina) que destruímos toda a altivez, tudo o que se levanta contra Deus.

Continuando, o apóstolo Paulo relembra a Timóteo sobre encarar a vida cristã como uma batalha.

"Tu pois, sofre as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.
Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra."
2 Timóteo 2:3-4

"Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas."
1 Timóteo 6:12-13

E próximo da morte, declarou:

"Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé."
2 Timóteo 4:7

Será que temos a consciência forte igual a de Paulo no fato de encarar a vida cristã como um combate? Lembre-se que ele mesmo disse:

"Sede meus imitadores, como também eu de Cristo.
1 Coríntios 11:1

Portanto, a partir de hoje lembre-se sempre (também faço esta admoestação a mim) que somos soldados de Jesus Cristo, no campo de batalha, e que temos todas as armas disponíveis: A Palavra (Bíblia), a verdade, a justiça, o evangelho dirigido ao homem natural, a oração sem cessar.

Devemos lutar contra tudo o que é antagônico a Deus, a começar pelo pecado que habita em nossa carne, contra os nossos pensamento e olhos (onde tudo começa), contra tudo o que detém a Verdade de Deus.

Deus abençoe a todos os soldados do Senhor.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

"Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica".

Se você frequenta uma denominação pentecostal, tenho quase certeza que já ouviu a frase do título desta postagem. Há vários irmãos os quais não consideram o estudo bíblico importante; outros até consideram errado. E dizem que a letra da Bíblia - bem como sua interpretação - são "reveladas" e não entendemos através de uma leitura contextualizada.

Se você frequenta a CCB (denominação a qual frequento) com certeza já ouviu isso. Mas gostaria de te lembrar do primeiro ponto de doutrina, o qual fala da Bíblia Sagrada.

"Nós cremos na inteira Bíblia e aceitamo-La como contendendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta,a Ela nada se pode acrescentar ou d'Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê. (II Pedro 1:21; II Timóteo 3:16-17; Romanos 1:16)"
Esta frase "a letra mata, mas o Espírito vivifica" não constitui nem um versículo, mas parte de um. E as pessoas interpretam rapidamente sem entender o seu contexto. Nem leem os versículos iniciais do capítulo (pois é assim que entendemos).

Pois bem, vamos lá. Para entendermos o que essa frase significa, precisamos entender coisas elementares da Palavra de Deus.

Vou tentar fazer um resumão. Deus criou o ser humano reto. Porém ele pecou contra Deus e se rebelou. Por causa de Adão todos viraram pecadores, e isso foi para toda a raça humana (Romanos 5:12).

Deus porém para demonstrar a sua Justiça deu ao ser humano a Lei. Esta consiste em mandamentos justos que o ser humano jamais consegue cumprir em sua plenitude. Deus a escreveu em duas tábuas e entregou a Moisés. Você vê isso ao ler Êxodo 19 e 20. A Lei são 10 mandamentos santos, justos e perfeitos.

Nós entendemos que o homem nasceu no pecado e é escravo do pecado, por isso não consegue ser perfeito em cumprimento à Santa Lei de Deus. Logo, a Lei apenas acaba condenando o ser humano e não o salva. Ela traz o conhecimento do pecado.

"Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás."
Romanos 7:7

E como vimos, Deus deu a Lei no Antigo Testamento, escrita em tábuas para Moisés. Ao entender isso, você entenderá que a letra que mata se refere à Lei, e o Espírito que vivifica é uma referência à Graça na Nova Aliança.

Vamos analisar desde o inicio do capítulo para entendermos. Preste atenção nas partes que pintarei de azul.

"Porventura começamos outra vez a louvar-nos a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de recomendação de vós?
Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens.
Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.
E é por Cristo que temos tal confiança em Deus;
Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus,
¶ O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica."
2 Coríntios 3:1-6

Compreenderam? O apóstolo Paulo faz uma comparação entre a antiga aliança e a nova. Na antiga Deus escreveu (a letra) em tábuas, e esta letra mata, porque o homem nunca consegue cumpri-la. Mas na nova aliança, não temos mais a letra que mata (Lei) como justificação, mas a Graça, pela qual somos salvos.

Por essa razão ele diz que somos ministros de um novo testamento (Graça, justificação pela fé), não da letra (Lei), mas do Espírito (referindo-se à nova aliança), porque a letra mata (a Lei não salva, apenas diz o que é justo, que o homem nunca consegue cumprir totalmente), mas o Espírito vivifica (No novo testamento temos o Espírito fixado em nossos corações por já sermos justificados).

E para entender de vez que Paulo se referia à Lei quando falava da "letra que mata", leiamos os versículos seguintes do mesmo capítulo:

"O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.
E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória,
Como não será de maior glória o ministério do Espírito?
Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça."
2 Coríntios 3:6-9

Portanto, dizer que "A letra mata mas o Espírito vivifica" no intuito de reprovar o estudo bíblico alegando que tudo é "revelação" está totalmente errado. Podemos concluir que a letra que mata é a Lei escrita em tábuas (Os dez mandamentos), porque ela é justa e o homem é pecador. Que o Espírito que vivifica é uma referência à nova aliança, à Graça e ao Espírito que é fixado em nossos corações pela Fé e não a supostas revelações.

Sola Scriptura a todos. Deus abençoe aos queridos leitores.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Salvação, galardão, juízo final, tribunal de Cristo e o cristão.

Há vários cristãos os quais pensam que comparecerão ao Juízo Final para ser julgado por Deus. E pensam que a salvação é por obras, boa conduta e mérito - portanto creem que poderão ser salvos ou não nesse suposto encontro com o Senhor, dependendo de suas boas obras.

Entretanto, não é isso que nos ensina a Escritura. Quem comparecerá a este Julgamento serão os ímpios perdidos e não os filhos de Deus. E todos aqueles que forem para lá serão condenados. Não haverá salvação. O Juízo Final é uma espécie de "prestação de contas" que Deus dará aos perdidos, explicando-lhes a razão da condenação mediante os livros abertos de tudo o que fizeram, falaram, pensaram e desejaram. Vejam com detalhe:

"E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles.
E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.
E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras.
E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.
E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo."
Apocalipse 20:11-15

Ninguém sairá salvo desse evento. E por que o cristão não participa? Porque ele é salvo pela Graça mediante a fé e Misericórdia de Deus (Ef 2:8-9; Tito 3:5-6). Portanto os filhos de Deus aqui podem se sentir eternamente salvos, como disse Jesus:

"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida."
João 5:24

O cristão, como vimos, não participará do Grande Juízo. Ele é salvo. Mas ele participará de outro evento, para prestar contas a Deus de seu trabalho cristão e suas obras. Tal lugar se chama "Tribunal de Cristo", onde comparecerão apenas os salvos. E nesse tribunal não seremos julgados para adquirir ou não a salvação (pois só comparecerá quem é salvo), mas para alcançar ou não galardão.

É essencial entendermos a diferença entre Salvação e Galardão.

- Salvação: consiste em passar da morte eterna para a vida eterna unicamente pela Fé em Jesus. (Jo 5:24; Ef 2:8-9)

- Galardão: são prêmios/recompensas pelo trabalho cristão e pelas suas obras. Haverá cristãos que os receberão, outros porém não. Na Bíblia os galardões são chamados muitas vezes de "coroa": coroa de glória, coroa de incorrupção, coroa da vida.

Eis a passagem que nos fala disso:

"A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.
Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.
Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo."
1 Coríntios 3:13-15

Ou seja, nossas obras serão provadas no fogo no Tribunal de Cristo. Se elas não se queimarem (forem muito boas), receberemos os prêmios. Se se queimarem (obras ruins), não receberemos os prêmios, mas mesmo assim seremos salvos, pois a Salvação não se alcança pelas obras, visto que é impossível.

Não conseguimos agora entender como será um cristão com prêmios (galardões) e outros não. Porém é uma realidade atestada na Bíblia.

Portanto, concluímos:

- Juízo Final será somente para os perdidos. Ninguém que for se salvará. Serão julgados mediante tudo o que fizeram, pensarem e desejaram.

- Tribunal de Cristo será somente para os cristãos, não julgamento para salvação, mas para galardão. O que crê em Cristo já está salvo (Jo 3:18).

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Deve-se orar apenas de joelho?

Há cristãos os quais pensam que devemos orar unicamente de joelhos. Para eles, é uma ordenança de Deus, e só há exceção se a pessoa não tiver condição física de fazê-lo. Ou seja, se há a condição física, Deus quer que oremos assim. Também muitos dizem que só devemos orar de olhos fechados. Na CCB - grupo que frequento, é assim.

Mas o que nos ensina a Bíblia Sagrada, nossa única regra de fé e conduta (Vide 1° ponto de doutrina da CCB)?

Ao analisarmos as Escrituras, vemos servos de Deus orando de joelhos e em pé, de olhos abertos e fechados.

Ana no templo orou em pé ao Senhor:

"Então Ana se levantou, depois que comeram e beberam em Siló; e Eli, sacerdote, estava assentado numa cadeira, junto a um pilar do templo do Senhor.
Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente."
1 Samuel 1:9-10

Salomão orou em pé abençoando o povo de Deus após a construção do templo:

"E pôs-se em pé, e abençoou a toda a congregação de Israel em alta voz, dizendo:
Bendito seja o Senhor, que deu repouso ao seu povo Israel, segundo tudo o que disse; nem uma só palavra caiu de todas as suas boas palavras que falou pelo ministério de Moisés, seu servo.
O Senhor nosso Deus seja conosco, como foi com nossos pais; não nos desampare, e não nos deixe.
Inclinando a si o nosso coração, para andar em todos os seus caminhos, e para guardar os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos que ordenou a nossos pais.
E que estas minhas palavras, com que supliquei perante o Senhor, estejam perto, diante do Senhor nosso Deus, de dia e de noite, para que execute o juízo do seu servo e o juízo do seu povo Israel, a cada qual no seu dia."
1 Reis 8:55-59

O rei Jeosafá orou em pé na casa do Senhor:

"E pôs-se Jeosafá em pé na congregação de Judá e de Jerusalém, na casa do Senhor, diante do pátio novo.
E disse: Ah! Senhor Deus de nossos pais, porventura não és tu Deus nos céus? Não és tu que dominas sobre todos os reinos das nações? Na tua mão há força e potência, e não há quem te possa resistir.
Porventura, ó nosso Deus, não lançaste fora os moradores desta terra de diante do teu povo Israel, e não a deste para sempre à descendência de Abraão, teu amigo?
2 Crônicas 20:5-7

O próprio Cristo orou, pelo que tudo indica, em pé e estava olhando para o céu e não de olhos fechados:

"¶ Jesus falou assim e, levantando seus olhos ao céu, e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti;"
João 17:1

Cristo conta uma parábola sobre oração de um fariseu e um publicano. Ambos oraram em pé no templo:

"Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.
O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.
Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.
O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!
Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado."
Lucas 18:10-14

Ambos oraram em pé, mas Deus ouviu apenas a oração do publicano, porque ele se humilhava, ao contrário do fariseu, que orava se exaltando.

A crença de que não convém orar em pé se dá da interpretação errônea de dois versículos:

"E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente."
Mateus 6:5-6

Jesus nesta passagem reprova o ato de orar para ser visto pelos homens, como os fariseus faziam em pé nas esquinas, e não o simples ato de orar em pé, como vimos na parábola do publicano e do fariseu.

Outra passagem que usam para dizer que só se deve orar de joelhos:

"Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai."
Filipenses 2:10-11

A passagem acima refere-se ao futuro, na vinda de Cristo, quando TODOS - crentes e incrédulos - hão de se prostrar perante Ele. Não se refere a nossa oração diária.

Como vimos, Deus não está "se ligando" na posição física. Pois afinal, Deus atenta é para o coração de quem ora:

"porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração."
1 Samuel 16:7

Obviamente, ficar de joelhos é uma postura que indica submissão, e é a posição mais usada. Eu diria que até a mais indicada. Mas Deus não se limita a isso.

Deus não atende às nossas orações apenas em duas situações:

1- Quando literalmente estamos vivendo em pecado.

"Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça."
Isaías 59:2

Detalhe: Se nessas situações houver oração de arrependimento dos pecados, Deus atende (Salmos 32; 51).

2- Quando um casal cristão está em pé de guerra.

"Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações."
1 Pedro 3:7

Portanto, embora a posição de joelhos seja a mais utilizada e talvez até a mais indicada, Deus também ouve orações de quem as faz em pé, pois Ele de fato olha para o coração, pois uma pessoa pode estar de joelhos mas o coração não se curvar. E quanto aos olhos, encontramos pessoas de Deus na Bíblia orando de olhos abertos, inclusive olhando para o céu. Obviamente, se estivermos em um lugar fechado e com bastantes pessoas, e um só orar, é melhor fecharmos os olhos para melhor concentração. Mas lembrando que Deus não se limita a isso.

domingo, 19 de outubro de 2014

Vem me socorrer.

Graça, paz e misericórdia a todos vocês. Escrevo esta postagem domingo pela manhã. Comecei a ouvir uma música cristã, que me tocou e sempre me toca. Hoje decidi escrever sobre o que ela diz. O nome da música é "Vem me socorrer", da grupo Palavraantiga.

A primeira parte da música diz:

Não tenho um tom
Não tenho palavras
Não tenho acorde que
Me socorra agora
Tudo foi embora
Só tenho você

É verdade. Todos temos esses momentos, não é verdade? Nada consegue nos socorrer. Tudo simplesmente vai embora. Não resta nada. Não tem música, não tem amigo, não tem marido, mulher, nada que possa nos socorrer. Tudo dá errado. Tudo. Só nos resta uma saída: Deus. E depois de tudo percebemos que Ele não era apenas a última que procurávamos, mas a única. O Deus do socorro, da providência.

A segunda parte diz:

Havia um silêncio
Que mostrou os meus vícios
Me agarro contigo
Vem me socorra agora
Tudo foi embora
Só tenho você amor
Agora

Na primeira parte ele fala dos momentos em que nada nos socorre senão Deus. Agora ele fala do silêncio que mostra nossos vícios. Isso ocorre por causa de nossos pecados. Como nascidos de Deus nos sentimentos sufocados no pecado. Ficamos em silêncio, tristes, lamentando, chorando. Mas o bom é que não para aí. Ele se agarra com Deus e pede seu socorro. Assim devemos nós fazer: quando estivermos na ruína do pecado, nos agarrar a Deus, porque "as suas misericórdias não têm fim"(Lm 3:22), e porque Ele nos chama: "Apago as tuas transgressões como a névoa, e os teus pecados como a nuvem; torna-te para mim, porque eu te remi".(Is 44:22). 

Deus tem misericórdia e Graça sobrando para conceder a seus filhos.

A última parte da música diz:


Eu canto pra Ti
Sei onde estou
Olhando pra mim posso saber
Que nada sou
Eu grito pra Ti oh, Deus
Vem me socorrer
Olhando pra mim posso saber
Que nada posso fazer
Ele diz que sabe onde está. Assim, nós precisamos ter essa consciência: estamos num mundo corrompido pelo pecado, e em uma situação na qual há muitas coisas que não podemos mudar. Depois ele diz que olha para si e se vê um nada. Da mesma forma, precisamos entender que só Deus pode mudar situações difíceis, assim como só Ele pode nos conceder misericórdia e graça, porque não somos nada.
Por fim, ele diz que olha pra si e nada pode fazer. Foi isso o que Jesus nos ensinou: não podemos acrescentar um metro à nossa altura (Mt 6:27), e Salomão diz que nem podemos acrescentar um dia à nossa vida, pois ninguém tem poder sobre o dia de sua morte (Ec 8:8). Portanto, tudo está nas mãos do Deus eterno.
O que aprendemos sobre o socorro presente de Deus já foi visto e aprendido há muitos anos por Davi, expressado no Salmo 121. Para terminar esta postagem, transcrevo-o aqui.
"Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro?
O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra.
Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará.
Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel.
O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua direita.
O sol não te molestará de dia nem a lua de noite.
O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma.
O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre"
Salmos 121:1-8

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

É possível alcançar a perfeição cristã?


"Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o SENHOR a Abrão, e disse-lhe: 'Eu sou o Deus Todo-Poderoso, anda em minha presença e sê perfeito'."
Gênesis 17:1

"Perfeito serás, como o Senhor teu Deus."
Deuteronômio 18:13

"Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus."
Mateus 5:48

Os versículos acima, bem como outros, levam muitos a crer que Deus deseja uma perfeição 100% que advém de nós. Muitos entendem que Deus está esperando a nossa perfeição e que é possível um dia - enquanto humanos - a alcançarmos.

Para respondermos à pergunta proposta, precisamos entender que o ser humano tem uma natureza, naturalmente, escrava. Sim, escrava. Porém do pecado:

"Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.
Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.
E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.
Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem."
Romanos 7:14-18

Acaso não é assim conosco? Tentamos muitas vezes ser perfeitos no nosso andar, porém tropeçamos. E parece que temos muitos momentos de avanços na vida espiritual, mas, de repente, caímos. E isso é inevitável, pois existe uma natureza adâmica ainda em nós. Logo, como alcançaremos a perfeição, visto que enquanto vivermos tal influência existirá?

Eu inclusive me lembro de uma pregação errônea a qual ouvi na igreja que frequento quando era criança. O pregador dizia: "Se não for perfeito, naquele último dia não entrará na glória".

Pois bem, se não é possível sermos perfeitos, como entender os versículos iniciais? Primeiramente, vamos ver as coisas "como Deus vê". O Salmo 103 é muito explicativo sobre isso. Davi diz:

"Assim como está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões.
Assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem.
Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó."
Salmos 103:12-14

O Contexto deste salmo é a misericórdia de Deus para com nossos pecados. Ele reconhece que somos pó. Ele sabe que é impossível sermos perfeitos.

O que Deus espera então? Não é a nossa perfeição, mas o nosso crescimento. O nosso avanço. Adquirir experiência. Estas coisas são possíveis. Entenda que há cristãos que são comparados a meninos na fé e outros são comparados a adultos:

"Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento.
Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino.
Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.
Hebreus 5:12-14

Quando ele diz "para os perfeitos", quis dizer "para os adultos no entendimento e na Palavra", pois faz uma oposição aos "meninos" que necessitam de leite. A NVI, por exemplo, traduziu como "adultos" em vez de perfeitos:

"Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal."
Hebreus 5:14

Aliás, pela tradução da NVI entendemos melhor o que Deus espera de nós. Gênesis 17:1 foi traduzido assim:

"Quando Abrão estava com noventa e nove anos de idade o Senhor lhe apareceu e disse: "Eu sou o Deus Todo-poderoso; ande segundo a minha vontade e seja íntegro."
Gênesis 17:1

Ou seja, trocou-se "perfeito" por "íntegro".

Um outro motivo pelo qual não nos é possível atingir a perfeição é que, se conseguíssemos, a salvação seria pelas obras, por mérito, e não pela Graça e Misericórdia de Deus. Isso abriria espaço para o homem gloriar-se de seus méritos. E sabemos que um dos motivos da salvação ser unicamente pela Graça é para impedir a glória humana:

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie";
Efésios 2:8-9

Homem perfeito, portanto, só um: Jesus Cristo. Nós podemos crescer, virar adultos espirituais, adquirir experiência, avançar. E isso é esperado de nós. Mas perfeição não.

Deus nos abençoe. 


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O jugo da mocidade.

"É bom que o homem suporte o jugo enquanto é jovem.
Leve-o sozinho e em silêncio, porque o Senhor o pôs sobre ele."
Lamentações 3:27-28

Juventude: época inesquecível para muitos. Tempo de novas descobertas. Hormônios à flor da pele.

Entretanto, ao jovem cristão, digo sem medo de errar: que período difícil e tentador! Assim como há diferença entre adultos cristãos e incrédulos, assim acontece aos jovens.

Pela falta de experiência, pelos hormônios e por outros jovens ao redor somos passivos a agir de forma errada em várias áreas de nossa vida. Digo "nós" porque tenho 19 anos e sei da luta que enfrento nesta etapa de minha vida. Somos tentados em vários lugares, como escolas, faculdades e nos ambientes de trabalho, lugares onde muitas crenças e ideias contrárias à Palavra de Deus nos cerca.

"Jugo" em sentido figurado (que aparece nos versículos acima) representa submissão, sujeição. Existe um jugo para o jovem que serve a Deus, o qual não se aplica ao jovem incrédulo. Nós desde cedo aprendemos que o homem caído precisa ir sendo crucificado, e o novo aparecer dia após dia.

A sujeição consiste em se render à Lei de Deus. Não para adquirir a salvação, mas para viver de forma que agrade a Deus. E ser submisso a Deus significa para o jovem muitas vezes abrir mão de certos desejos, os quais são fortes. Muito fortes.

Particularmente creio que Jeremias se referiu principalmente ao ato de se manter pureza sexual. A versão acima é NVI, mas a Almeida traz: "Assente-se solitário e fique em silêncio", em vez se "leve-o sozinho...". Sabemos que a queda da humanidade atingiu muito forte a sexualidade.

Olho para os jovens ao redor e o que mais vejo é impureza sexual, embriaguez, atos de "ficar" (sem compromisso sério algum). E o jovem de Deus precisa se abster de tudo isso. Não é fácil. Mas é a Palavra de Deus, portanto não há desculpas.

Não obstante, observe a expressão "é bom", que inicia o versículo. Significa que mesmo em toda a dificuldade, Deus se agrada do jovem que leva seu jugo. E isso nos serve de consolo. E também nos proporciona bênçãos de Deus:

"...a piedade, porém, para tudo é proveitosa, porque tem promessa da vida presente e da futura.
1 Timóteo 4:8

Lembrando que no Novo Testamento a palavra "piedade" significa devoção a Deus.

Por essa razão, venho estimular aos jovens que lerão esta pequena e rápida postagem, bem como tento me incentivar também. Porque como um jovem sei do que digito aqui. Podemos carregar um jugo, mas temos a promessa de Deus da nossa vida presente e por fim da vida que há de vir, a eterna. Você e eu caímos e levantamos, mas mesmo assim o Senhor deseja que suportemos o jugo da mocidade e sigamos sem olhar para atrás.

Espero edificar a muitos com este texto. Deus abençoe a todos.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Revelações e confirmações sobre casamento.

Primeiramente gostaria de deixar claro que o foco desta minha postagem não é atacar nem ridicularizar a crença de ninguém sobre o assunto que será tratado, tampouco fazer piadas. Porém acho interessante tratar dele, para falarmos de seus mitos.

Pois bem, sabemos que o pentecostalismo trouxe uma verdadeira inovação no que diz respeito a visões e revelações, visto que a Igreja reformada não se utilizava de tais coisas, apenas da interpretação clara que a própria Bíblia faz de si própria. Surgiram revelações, visões e profecias sobre várias coisas, como missões e o rumo a ser tomado pela Igreja em determinados assuntos. Contudo, tais coisas acabaram se estendendo para um campo até antes nunca influenciado: o casamento.

De repente, várias igrejas pentecostais passaram a ensinar que a escolha do marido/esposa não deveria ser uma simples escolha pautada unicamente no amor, mas que os pretendentes deveriam buscar "confirmações", revelações, pedir "sinais" e coisas sobrenaturais do tipo. E isso incluía o fato de Deus falar na boca do homem se é da vontade de Deus que me case com fulano ou ciclano. Rapidamente isso se espalhou como pólvora e foi influenciando a mente dos irmãos pentecostais.

Também gostaria de deixar claro que não pretendo me basear na experiência pessoal do irmão Joãozinho, que buscou confirmação sobre e Deus lhe disse sim ou não. Ao tratar desse assunto quero me basear, unicamente, nas Sagradas Escrituras, a qual é a Palavra de Deus. Sei que alguns irmãos frequentantes da CCB (grupo que frequento) leem meu blog. Gostaria de lembrar a vocês, antes de tudo, do primeiro ponto de doutrina, o qual se encontra no fundo do hinário. Este ponto nos fala da suficiência da Bíblia.

"Nós cremos na inteira Bíblia e aceitamo-La como contendendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d'Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê. (II Pedro 1:21; II Timóteo 3:16-17; Romanos 1:16)"

Ou seja, minha crença sobre o assunto que estou falando aqui deve vir unicamente da Bíblia Sagrada.

Então, o que fazer? Vamos para a Bíblia.

Deus criou e instituiu o casamento no Éden (Gn 2:22-25). Após isso, quando vamos lendo Gênesis, Êxodo e a seguir, vemos que a escolha do marido/mulher era feita pela família de ambos, ou, quando um homem se interessava em se casar com uma moça, e ela consentia, pedia a sua mão à família. Você entenderá isso ao ler as páginas do Velho Testamento. Verá que nunca houve busca de uma confirmação divina se era da vontade de Deus determinado casamento.

Gostaria de comentar apenas duas exceções. Isaque (é importante lembrar que foi patriarca) precisava de uma esposa. Abraão então chamou seu servo e ordenou que trouxesse uma moça para seu filho se casar. A única condição que ele deu foi que o servo deveria trazer uma de sua parentela (que simboliza Deus nos dando apenas a condição de nos casarmos com outro cristão (a). Quando o servo de Abraão foi, não sabia quem escolheria, então pediu um "sinal" e de repente apareceu Rebeca, que se tornou mulher de Isaque. Você encontra isso ao ler Gênesis 24. O curioso sobre isso é que Abraão não ordenou que seu servo pedisse sinal, buscasse resposta divina, apenas disse que trouxesse uma da parentela. E também, quando lemos todo o Antigo Testamento, nunca foi hábito do povo de Deus "pedir sinal" ou confirmação para se casar com alguém. Portanto, o caso de Isaque é uma "exceção" e não uma regra a ser seguida e imitada, pois como falei, não vemos o povo na Bíblia Sagrada fazer a mesma coisa.

Um outro caso de exceção que ocorreu foi com o profeta Oseias. Deus ordenou que ele se casasse com uma prostituta chamada Gômer (Ose 1:2-3). E Deus ordenou isso porque Israel, a esposa de Deus, era semelhante a uma prostituta por ter adorado a outros deuses. Em outras palavras, Deus quis fazer com que seu servo Oseias sentisse o mesmo que Ele sentia, ao amar uma esposa infiel.

Saindo das páginas do Antigo e entrando no Novo Testamento, o único caso de exceção foi José e Maria, por serem escolhidos por Deus para serem os pais de Jesus. Quando descobriu que Maria estava grávida, José intentou deixá-la, mas um anjo lhe apareceu dizendo para não fazer aquilo, porque o filho que Maria tinha no ventre era fruto do Espírito Santo. Você poderá ver isso lendo o inicio do Evangelho de Lucas.

Partindo para as cartas dos apóstolos, o que encontramos é o apóstolo Paulo dizer em 1 Coríntios 7 que somos livres em escolher se vamos casar ou não, e com quem, desde que a outra pessoa também seja cristã. Se Deus interfere na nossa escolha por detrás eu não sei informar, porque não sabemos como Ele trabalha nos bastidores. Mas aqui na terra, pelo que nos ensina as Escrituras, somos nós quem tomamos tais decisões. E não são pautadas em revelações.

Há um versículo muito curioso nas Escrituras Hebraicas que diz:

"Isto é o que o Senhor mandou acerca das filhas de Zelofeade, dizendo: Sejam por mulheres a quem bem parecer aos seus olhos, contanto que se casem na família da tribo de seu pai."
Números 36:6

O versículo acima contém dois princípios: devemos nos casar com quem melhor parecer bem aos nossos olhos, com quem mais nos agradar (afinal quem se casará com uma pessoa se não amá-la?), e a pessoa precisa ser "da mesma tribo", isto é, tem de ser outro cristão. São somente essas duas condições que Deus nos dá para casarmos. Não manda ninguém procurar revelação, pedir sinal, confirmação. Nada disso. Essas coisas foram exageros criados pelos pentecostais.

Conversei há algum tempo com um moço cristão de uma igreja pentecostal, acho que Igreja Quadrangular. E ele me disse que estava gostando muito de uma moça e ela também estava interessada nele, porém queria a todo custo uma resposta sobrenatural. Mas para quê ela precisa disso, visto que ambos têm interesse mútuo e são cristãos? O que eles deveriam fazer era passar um tempo legal se conhecendo, para saber se o interesse persistiria.

Portanto, podemos concluir que apenas houve três casos na Bíblia Sagrada que Deus interferiu na escolha do marido/mulher, sendo dois no Antigo e um no Novo Testamento. E tais casos, como vimos, foram "exceções". E que o povo de Deus nunca se pautou em revelações sobrenaturais para casamento, mas unicamente no amor e na mesma religião instituída por Deus (judaísmo no passado, cristianismo hoje). Que não devemos seguir o exemplo pessoal de alguém. Também vimos que a decisão de se casar ou permanecer solteiro, ou com quem se casar, depende aqui na terra unicamente de nós, e que não sabemos se há interferência do Eterno por detrás dos bastidores, mas aqui, nós somos os responsáveis.

Que Deus abençoe a todos.