quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Honrar ao Senhor com os bens e as primícias.

"Honra ao Senhor com os teus bens, e com a primícia de todos os teus ganhos;
E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.
(Provérbios 3:9-10)

O que significa honrar a Deus com os bens? E com as primícias?

Quando Salomão escreveu o livro de Provérbios, vigorava a primeira aliança. Deus havia estabelecido que cada israelita trouxesse 10% (dízimo) de tudo o que houvesse adquirido. O propósito pelo qual o Senhor ordenou isso era para que os levitas fossem sustentados, os pobres, as viúvas e os estrangeiros fossem ajudados.

O princípio de honrar a Deus com o dízimo na primeira aliança:

"Certamente darás os dízimos de todo o fruto da tua semente, que cada ano se recolher do campo.
E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus todos os dias."
(Deuteronômio 14:22-23)

"Porém não desampararás o levita que está dentro das tuas portas; pois não tem parte nem herança contigo.
Ao fim de três anos tirarás todos os dízimos da tua colheita no mesmo ano, e os recolherás dentro das tuas portas;
Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra que as tuas mãos fizerem."
(Deuteronômio 14:27-29)

Deus fez um pacto com a nação de Israel. E se eles obedecessem a todas as ordens do Senhor, seriam abençoados. Se eles dizimassem da forma correta conforme estabeleceu o Senhor, horando-O com suas primícias, isto é, utilizando as primeiras partes para fazer aquilo que Deus mandou, então seus celeiros transbordariam, e assim Deus os abençoaria mais e mais.

O parágrafo acima é tão verdadeiro que quando os israelitas passaram a não honrar ao Senhor com suas primícias (dizimar segundo a Lei), os devoradores (animais) começaram a tragar a terra. Malaquias foi escrito nessa época.

"Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas.
Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação.
Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.
E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos."
(Malaquias 3:8-11)

Portanto, na primeira aliança, honrar a Deus com os bens e as primícias era dizimar, sendo isso a primeira coisa a ser feita quando conseguissem seus bens.

E para nós hoje? Nós, que vivemos na Nova Aliança, como podemos honrar ao Senhor conforme diz Provérbios 3:9?

Na Igreja, percebe-se claramente que o dízimo não existia. Portanto estamos livres desse mandamento dado ao povo judeu. No entanto, existe uma forma de cumprirmos tal versículo.

Os cristãos, no Novo Testamento, faziam coletas de dinheiro para ajudar os mais pobres. Em Atos vemos que eles repartiam entre si seus bens, de modo que não havia um só necessitado.

A forma que hoje podemos honrar ao Eterno com nossas primeiras partes é ajudar imediatamente os irmãos mais necessitados de roupa, comida, moradia etc. Os cristãos do século I, sob a liderança do apóstolo Paulo, fizeram isso:

"Mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade;
Como está escrito: O que muito colheu não teve demais; e o que pouco, não teve de menos."
(2 Coríntios 8:14-15)

"Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.
E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra;
Conforme está escrito:Espalhou, deu aos pobres;a sua justiça permanece para sempre."
(2 Coríntios 9:7-9)

"Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus."
(2 Coríntios 9:12)

Havia naquele tempo muitos cristãos pobres, e foram ajudados pelos outros irmãos. É assim que podemos servir a Deus com nossas primícias. Já dizia Cristo:

"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."
(Mateus 25:34-40)

Creio que tenha ficado claro como cumprirmos Provérbios 3:9. No entanto, há outro ponto, para finalizar, que gostaria de esclarecer. A segunda metade do provérbio diz: "E transbordarão os teus celeiros". Se aqueles judeus dizimassem, seriam fartos, teriam bens em abundância. E nós? Se ajudarmos os pobres, teremos abundância de bens?

Não. A promessa de abundância foi no contexto da Lei, um pacto que Deus fez com Israel. Hoje, se honrarmos a Deus com nossas primícias, Ele apenas garante que, na nossa necessidade, Ele nos suprirá. Não garante que venhamos a ter em abundância, mas que a Sua provisão chegará até nós, conforme ensinou nosso Senhor em Mateus 6:25-31.

Deus abençoe aos irmãos que leram.